MOMENTO POÉTICO

Alvará de Domingo

Neste domingo (17/11/2019),
O sol amanheceu com luz de despedida.
A manhã veio arrastada e empalidecida,
Os pássaros das árvores da praça, mudos,
E se cantavam era uma canção entristecida.

Era o domingo anunciando a saudade,
Momento de juntar os poucos pertences,
Arrumar as lembranças do quarto,
Escrever na lousa o salmo da tenacidade,
Embalar os sonhos e fazer as malas,
Bater a pó e a poeira desta cidade…
Momento de deixar para trás,
Os gestos, os jeitos, as falas.
Hora de voltar, de regressar,
Retomar a rotina da vida,
O aconchego do lar…

O domingo veio com viés de desapego, de luto,
Ignorou a metodologia, o resumo, o construto,
Não se importou com o estado da arte,
Não se reteve para impedir quem parte.
Não se demorou, não foi estratégico,
Não ponderou, veio obtuso e cético.

Cumpriu a missão do dia marcado,
De indicador de fim da jornada…
Mas não impediu o reconhecimento,
O entendimento do muito obrigado,
De se dizer feliz e em agradecimento,
Pelas amizades sedimentadas,
Pela trajetória vivida, irmanada,
A experiência construída, inacabada,
A generosidade coletiva na caminhada.

O domingo veio…
E trouxe o alvará de expulsão.
A decretar o fim de uma fase,
A rasgar a placenta do coração,
Por partir…mas ficar e guardar,
De cada um, a alegria, a afeição…
E na lembrança, quando se busque,
Todos que têm na pele o Poleduc,
Haverá uma dissertação de felicidade.
O resumo será um muito obrigado,
A conclusão….SAUDADE.

Minha expressão para agradecer aos companheiros mestrandos, aos professores, aos funcionários e colaboradores que foram tão importantes nesta caminhada longe de casa.

Obrigado e até em breve.

Temos que voltar para Sobral….
Vanderley Moreira